sexta-feira, 18 de junho de 2010

Painel

O canto solitário de um pássaro
quebra a monotonia da tarde;
o vento vai levando
os pensamentos do agora
para as incertezas de um dia
que ainda chegará.

A tarde se move devagar
pelas órbitas de olhos que esperam
momentos antes sonhados.
Enquanto isto, o hoje me afirma
a certeza de um ontem
que se esvai pelas mãos do Tempo.

(07/11/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário