quarta-feira, 2 de junho de 2010

Poemas do Cotidiano 2

Minhas palavras
não têm forças
para chegar à escuridão
de teu silêncio.

Te procuro próximo à mim
e te vejo perdida
em ermos pensamentos.

Solitários, dormimos
nossas angústias lado a lado
esperando que a manhã
nos faça esquecer
de nossas pequenas misérias.

(01/06/2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário