quarta-feira, 2 de junho de 2010

Vigília

À noite, me vem lembranças tuas
que me paralizam os nervos.

No escuro, cubro-me de recordações
para aquecer-me de nossa solidão.

O vento que traz teu cheiro
resgata a memória de tua imagem
em minhas retinas.

Envolvo assim meu ser
com teu ser
formando a certeza do nós
em mais um dia que surge.

(20/10/2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário