sábado, 3 de julho de 2010

*****************

Um pardal vai bicando,
pela calçada, pedaços de uma manhã incompleta.
Enquanto o observo,
recolho migalhas de luz
que caem dos olhos
como se fossem dádivas do dia.

A escuridão que nos chega
recobre os dons da aurora.
O tangível não se levanta mais
junto com o sol,
que apenas acaricia nossas melancolias.

(03/07/2010)